Diário || Destino



Dentro daquele autocarro, com destino ao sitio do costume. Noite feita, escuridão imensa. Desejei que nunca mais parasse. Seguisse rumo ao nada. Porque na verdade, não era este o destino que eu queria, mas sinceramente também não sei o quero na realidade. Que seguisse pela escuridão, sem destino certo e que durante toda essa viagem desaparecesse todo o meu sentimento incerto, este imenso sentimento que me perturba dia e noite.

-JR

Sem comentários:

Enviar um comentário