Diário || Dia de Organizar

Hoje é dia de ficar sentada na secretária, entre papelada, impressora, computador e dossiers!
Por uma Playlist a tocar (encontrei por acaso no Youtube e engracei com ela), e tratar de organizar isto tudo, antes que fique numa confusão (ainda maior).


-JR.

Realidade Feminina || Domingo


Sinceramente (e porque não trabalho ao Domingo), tal e qual! 

-Jovita R.

Curiosidades || Memória humana

Sabiam que:

  • "Se não exercitarmos o que aprendemos, esquecemos 25% em seis horas, 33% em 24 horas e 90% em seis meses." 

Finalmente descobri porquê que num instante se esquece o que se aprende na escola/faculdade! 



-Jovita R.

Sobre || Dom

Sou aquele tipo de pessoa, que tem o dom de dizer a coisa errada na hora errada!
De disparatar sem pensar, insistir sem ter a certeza. E, depois de deitar tudo a perder, se arrepender.

-JR.

Opinião || Velórios e Funerais

Infelizmente, recentemente faleceu a mãe de uma amiga minha! Eram muito apegadas, por isso mesmo, ainda mais difícil foi aceitar a partida. Fiz questão de estar presente tanto no velório, como no funeral e também estarei na missa de 7ºdia. Apesar de detestar ir a funerais, (não pelo que representa mas pelo tipo de gente que lá se encontra, que é sobre isso que cá venho opiniar) a filha da senhora que faleceu é muito importante para mim, e na qualidade de amiga, apesar de ser um fracasso em palavras neste tipo de momentos, sempre lhe posso dar um abraço e garantir que estarei sempre lá.
Falando do que me incomoda profundamente: Porquê que vão aos funerais se não respeitam o sofrimento dos outros, para quê que tiram sequer o rabo do sofá? Gente abelhuda que lá vai só pelo prazer de ver a desgraça alheia, gente rude e mal educada, que nem um minuto de silêncio consegue fazer. Até os familiares, que são familiares não respeitam minimamente (não importa se são afastados, continuam a ser familiares e deveriam ser os primeiros a exigir respeito pela situação, mas por vezes consta-me que são os piores). Estão na igreja a bilhardar, a rir, falar ao telemóvel. Mas que porcaria é esta, mas que tipo de gente habita neste planeta? Se não respeitam, se não se importam então nem pensem em por os pés lá perto. Se é para dizer "meus pêsames" com cara de cabrito mal morto, virar as costas e ir bilhardar sobre a vizinha, páh fiquem em casa, vão para o café, fazer compras, o que vos apetecer. Também é completamente desnecessário que fiquem deprimidos, que façam um espectáculo à base de lágrimas de crocodilo, mas por favor calem-se! Mas que maldita gente, bando de inúteis. Se for a ver são os primeiros a apontar o dedo aos outros, mas quando chega a hora de se comportarem como deve ser é o que se vê.

Não retiro nem uma palavra, nem uma única virgula.
A quem lhe servir a carapuça que a use, e que lhe pese!!

-JR.

Dicas para poupar || Customização

Eis uma dica muito gira, acho eu.
Como sabem ando em formação e tenho que levar, todo o santo dia, o computador comigo!
No inicio levava uma mala apropriada, que tornava-se um fardo pois o portátil, só por si, já é pesado, quando mais com uma bolsa toda artilhada!
Encontrei em casa, lá num canto uma velha bolsa, da TMN (projeto e-escolas). Mas era tão feia, tão feia, que após levá-la a formação duas vezes, decidi que tinha que fazer alguma coisa!
Poucos dias depois, fui à Feira dos Tecidos-Funchal e fiz magia acontecer (com a ajuda da máquina de costura e mais algumas peças que já tinha em casa)!

Peguei nisto:
 

E transformei nisto
 

Ora confessem lá, não ficou um mimo??
Esta customização ficou-me à volta dos 3€, super baratinha! Adoreiii!

-J R.


Diário || Eliminar


Dei por mim a eliminar tudo e nada, tudo o que não era mais necessário e nada, porque o que era tudo agora é nada. Uma atrás da outra. No fim, até me senti bem, mais leve. Chega a uma altura que tem mesmo que ser. De nada adianta ficar a remoer o passado e a pensar como podia ter ou não ter sido. Lá foi, agora é passado, ficam nada mais que lições de vida e boas lembranças. (FonteImagem:Internet)

-JR.

Opinião || Velhinho de 25 anos

Ora, vem hoje um rapazinho nos seus 25 anos me dizer que já está 'velhinho'! Com uma bela carinha laroca e um belo corpinho a condizer, tudo no seu devido lugar. Não o conheço à muito, no entanto pelo que vejo, apesar de um pouco tímido, é um autentico gentleman, bem educado, bem arranjado. Qual é a minha opinião a respeito, bem, multiplica meu Deus, multiplica que esta terra está a precisar de mais velhinhos como este.

-JR.

Diário || Memórias

Do nada tocou uma das nossas músicas na rádio, e do nada já caiam lágrimas. De saudade, de desilusão de tristeza. De lembrança e de alegria. Quem dera poder ter-te aqui. Sinto tanto a tua falta. Falta dos teus beijos, abraços, carinhos. Das tuas piadas parvas e amuos repentinos. Acabou a música, fiquei eu, estática, no canto onde estava antes. A olhar o vazio, e a preenche-lo com memórias. Doces memórias.

-JR.

Opinião || Ambiente multicultural

Foi me dada a seguinte frase:
“Eu trabalho numa empresa e tenho colegas de outras culturas…”

E a partir dela tinha que elaborar um texto onde constatasse a minha opinião, o que sentia a respeito, qual seria a minha forma de encarar a situação, etc. E aqui está: 


  • Diferentes raças, um só conceito. Somos todos seres humanos, com os mesmos direitos. Num ambiente multicultural é preciso saber estar. Respeitar e aceitar as culturas alheias, ser neutro, não discriminar qualquer que seja a raça ou religião é essencial. A nossa cultura tem por hábito bem acolher os estrangeiros. É importante criar condições para que todos se sintam bem e integrados.  De uma empresa multicultural podemos retirar diversas vantagens, tais como a cultura, a língua, o vestuário, a gastronomia, entre outros aspectos. Para se integrar num ambiente onde se envolvam várias culturas, é necessário ter uma mentalidade aberta. É uma aprendizagem mútua.  


-JR.

Música || Another Love

Ando viciada nesta música e não é de agora!
Lembra-me a Tardes de Verão e Noites de Inverno, Manhãs de Outono e Madrugadas de Primavera.
É o tipo de música que gosto de ter ao ouvido quando estou a estudar ou trabalhar, principalmente quando estou a relaxar! 
É muito raro uma só música me dizer tanto.Há quase um ano (ou mais, nem sei), que ando com ela no ouvido.
Foi-me indicada por alguém especial, daí também me avivar boas recordações! Enfim, aqui fica..




-Jovita R.


Histórias || Vizinhos pedinchões

Ora, não tem um ano que mudei de casa. Vivo numa rua inclinada sem saída e rodeada de vizinhos. Às vezes, o fato de ter vizinhos, é excelente outras nem tanto (isto quando decidem fazer festas e barulho noite dentro), é como tudo. E nas casas vizinhas como não poderia deixar de ser, existem seres, não racionais, alguns fofos, amorosos e tudo mais, já outros nem por isso. Digamos que existe de tudo nesta rua. Ora, deixando os rodeios, e indo direitinha ao assunto, apresento-vos os meus vizinhos pedinchões! Que são nada mais, nada menos que duas criaturas, não racionais, super amorosas, um cão e um gato. Estes andam sempre juntos, onde um vai o outro segue! Pertencem à casa oposta à minha 2 portões a baixo.


Acontece que, estou a tirar formação, em horário pós-laboral (ou seja, noite), e toda a noite que subo a rua, lá vem eles, a correr, saltar e pular. Seguem-me até à porta de casa e ficam sentados (às vezes) no tapete de entrada, à espera que lhes traga um petisco qualquer. Ora, mas que conversa! Provavelmente foi a minha mãe que lhes pôs o mau-habito. O que me estranha, pois ela, infelizmente, recusa-se a ter animais (não racionais) em casa. Para entenderem a 'gravidade' da situação, hoje quando subi a rua, estava o gato empoleirado no muro que dá para a minha casa (como já é habitual), mas o cão estava dentro do quintal da sua casa e, de portão fechado (pela primeira vez, pois o portão daquela casa está sempre aberto, completamente!) Logo que me viu começou a pular, quando deixou de me ver, jogou-se para o portão umas duas vezes até este se abrir! E lá veio ele todo louco esperar pelo petisco! Já me viram isto? Ai ai.. 
Apesar de não serem meus, gosto imenso destes dois, e de quando vem cá a casa me visitar. Sim, pois estes pestes não vem só pedinchar, aliás, só fazem isso à noite. Por vezes, durante o dia, também cá vem para brincar. Vai se lá entender. Acho-os muito fofos e bem educados. Apesar de pedinchões são uns amores! 

-JR.


Imagem || Sucesso


Diário || Recordar-te-ei


Irei guardar-te nas minhas mais profundas e felizes memórias. Os melhores momentos serão gravados e os piores esquecidos. Honestamente, já estão esquecidos. Fica a certeza, que pelo menos eu, não guardo mágoa ou rancor. Foi como foi, nada mais há a fazer. Sorri meu anjo, que esse teu sorriso e esses teus olhos, são os teus bens mais valiosos. Recordar-te-ei de alma e coração.


-JR.


"Quando a dor passar ficará a alegria de te ter conhecido"

Diário || Sábado à Noite



Nada melhor que o silêncio. Um chá quente, nesta noite fria. Nem apetece ligar a tv. Muito menos pensar na vida, apesar de por vezes ser inevitável. Já todos dormem. E eu aqui, contemplando as paredes brancas do quarto, iluminadas pela pouca luz, da vela acesa. Pensando se valerá a pena pegar no livro que está na mesinha, aberto. Ou se deva apenas colocar os auriculares e ouvir música, aquela música que acalma. Monótonas noites de sábado. 
-JR.



Textos || Outubro


Vens de mãos dadas com o Outono. Contigo vem o vento e a chuva, vem os dias mais curtos e as noites mais longas. Começa a ficar mais frio. Vão-se as folhas das árvores. Os tons mais escuros começam a se notar um pouco por todo o lado, os casacos, gorros e cachecóis tornam a sair das gavetas. Contigo vem o tempo imprevisível, as chuvas esperadas (mas não desejadas) e o nosso amado vento que insiste em despentear todos os cabelos. Trazes as tão boas, castanhas assadas! Contigo vem a vontade de bebidas quentes e de bebidas para aquecer! A vontade de passar os fins-de-semana enroscados no sofá, com uma bela manta e um bom filme. E de trincar um chocolatinho, porque já começa a cheirar, levemente, a Natal. Que venha também contigo a alegria de viver, a energia para enfrentar barreiras e atingir objetivos. Trás contigo o otimismo e a força de vontade. Nasçam amores, esqueçam-se os dissabores. Venham mais beijos à chuva, e que a chuva leve tudo o que não nos faz feliz! Bem Vindo Sejas, querido Outubro. (FonteImagem:Internet)


-JR.




Diário || Memórias de verão '14

Longos dias, cabelos mais claros, pele mais escura. Pouca roupa, tardes ao sol. Noites de loucura, noites de amizade, amor e paixão. Ilusões e desilusões. Passeios em terra e mar, praia e serra. Muita música, pouca preocupação. Boas recordações, momentos inesquecíveis. Doce verão '14.



-JR.

Textos || A vida é uma peça de teatro

A vida é uma peça de teatro, com vários palcos. Todos temos um papel, e diversos palcos onde interpretar. Temos o palco da família, onde nos comportamos e agimos de determinada forma. Temos o palco dos amigos, onde, analisando bem, agimos de maneira completamente diferente. Até podemos dizer exatamente a mesma coisa que no palco anterior, mas não o dizemos da mesma forma, ou se calhar até o fazemos mas a nossa linguagem corporal nunca é a mesma. O mesmo acontece, no palco trabalho, e em tantos outros palcos que pisamos ao longo da nossa vida. Para todo o lugar e ambiente temos sempre uma maneira distinta de agir. Podemos ter como exemplo o nosso circulo de amigos, há aquele amigo com quem se fala, mas que nem é tão intimo assim, e, assim sendo, quando se fala com um amigo que consideramos intimo, a nossa atitude e a nossa forma de estar, perante esse tal amigo é completamente diferente!

Foi algo que ouvi, algo para refletir.

-JR.

Diário || Sabores de Infância

Hoje foi um daqueles dias em que senti um dos sabores da minha infância. Sabor a açorda madeirense! Não é , nem de longe, o meu prato predileto mas trás boas memórias! Todos temos aquele(s) cheiro(s) ou sabor(es) que nos trás memórias, como eu não sou diferente de ninguém também tenho os meus: cheiro a maçã verde, sabor da açorda madeirense e também o cheiro e sabor do sumo de ananás gasificado, todos estes me recordam partes distintas da minha humilde e feliz infância. Como é bom recordar. 

-JR.

Diário || End of Summer

E assim chegamos ao fim, mais um Verão, entre tantos que se foram e de tantos mais que virão. Foi um bom Verão Passeei muito, conheci lugares novos, comi e bebi muito, conheci e desconheci pessoas, dancei, ri, chorei, brinquei, acima de tudo vivi. Em breve serão apenas memórias, algumas perder-se-ão, outras ficarão para sempre. Em breve será Outono, espero poder continuar a Viver intensamente entre folhas caídas, chuva e vento.

-JR.

Histórias || Lapas




"Que achas de fazermos alguma coisa hoje a noite, um jantar ou assim, com o Mi. e a A.?"
"Por mim ok, pergunta-lhes."
Surgiu assim a ideia, durante uma tarde de praia. Após todos conversarmos, lá ficou decidido. Fomos ao Caniçal, ao Muralhas Bar. Estavam todos loucos por lapas, menos eu. Que sou a esquisita. Mas, lá fomos. A especialidade é peixe, contudo também faziam picado regional, que é a minha perdição. Ou seja, jantar perfeito para todos. As entradas foram as tão desejadas Lapas e Mexilhão. A menina esquisita comeu pão como entrada que é para aprender. Depois vieram os pratos principais, dois picadinhos, um de peixe (já não me lembro qual) e o de Carne!! Foi uma delícia de jantar!!
-JR.

Textos || Café, por favor

"Boa noite, um café e um copo de água, por favor." Assim começa uma boa conversa no café, assuntos aleatórios. Descontraidamente, sentados frente a frente. Conversa calma e relaxada, sem pressão. Tudo corre melhor e de forma mais natural. Olhos nos olhos, sem qualquer constrangimento. Intimidade típica de um jovem casal com passado amoroso em comum. Num instante se vão duas horas, bem passadas. Sentimento de leveza e harmonia interna inexplicável. Há muito que não me sentia assim, tão confortável.
-JR.

Diário || feriado

Acordar tarde, ficar na preguiça. Levantar, tomar um bom banho, vestir uma camisola qualquer e beber um chá bem quente. Rádio ligado, temperatura agradável, brisa que entra pela janela semi-aberta. Pensar em tudo e nada.
-JR.

Diário || Relaxar

Chega a noite e faz-se silêncio. Acaba a turbulência diária típica de uma casa com 8 pessoas. Ligo o radio, que "roubei" do quarto do meu irmão mais velho, numa estação qualquer e aproveito a ausência de barulho para relaxar. Faz tão bem o escuro da noite e a harmonia da música.
-JR.

Diário || Perdi a guerra

Seguir é a única coisa que posso fazer. Aceitar e deixar ir. É triste, ver tudo desmoronar. Assim. Está tudo tão fágil que ao mínimo sopro do vendo cai. Quem diria que poderia ficar do modo que está. Não te quero ver, não te quero ouvir. Vai. Acabou. Desisiti. É preciso ter a capacidade de ver e perceber quando não se pertence mais. Chegou a minha vez. Perdi a guerra. Foram duras batalhas, em quase todas saí vencedora, mas na batalha final, a mais importante, saí derrotada. Termina assim.

-JR.

Diário || Maldita dor

Acordar de manhã com uma dor de cabeça horrenda. Como se tivesses ouvido música, ao volume máximo, toda a noite. E sabes que a única coisa que fizeste foi sair com um grupo de amigos para jantar e tomar um copo, num sitio calmo, com música a condizer. Maldita dor. Sair da cama sem vontade, só porque tem que ser. Preparar um café fresco e bem quente. Trincar qualquer coisa e depois, ingerir um maldito comprimido, pois com a cabeça assim não se faz nada do dia!

-JR.

Diário || Tudo mudou

E é esta a realidade, doí mas tem que ser. Verdade pura e crua. Não há nada que possa fazer. Tudo mudou, sentimentos, eram e deixaram de ser. Doí. Mas tenho que aceitar. "Tudo passa" dizem. Vamos acreditar que sim. Já não faço mais parte desse sonho. Não vou mais procurar ser parte do sonho de alguém. Tenho que ser o meu próprio sonho. Isso é o principal. Se consigo? Não sei. Tentarei. "Nada é impossível" farto-me de ouvir dizer. Vamos lá focar nisto! Pelo menos tentar.

-JR.

Diário || Escolhas e motivos.

Todos temos os nossos motivos. Por vezes fazemos as escolhas erradas, baseadas em motivos ainda mais errados, todos temos o direito. Outras vezes somos tão cabeça dura que insistimos sempre na escolha errada, vezes sem conta, mas isso, só a nós diz respeito. Por isso mesmo todos temos uma vida e cuidamos dela da forma que nos é possivel, em alguns casos, ou da forma que nos apetece, em outros casos. Não esquecendo que temos sempre opção de escolha, qualquer que seja a situação.

-JR.

Textos || Quero e não quero.

Naquele momento era tudo o que eu queria, ter-te por perto, o teu toque, a tua voz, o teu sorriso. Naquele momento... devo pensar de mais no futuro. Não te quero apenas para o momento, quero te "para sempre", perto de mim. És tão lindo, és tudo, como um sonho. Mas eu não sou o teu sonho. Não vale a pena negar. Quis te deixar livre, assim poderias viver, aproveitar a vida. Como sei e sinto que tanto queres. Mas, o teu olhar faz me arrepender de te ter "libertado". És tudo o que quero para mim. Apesar de tudo, e de tudo estar a correr mal entre nós. Não te quero odiar, talvez fosse mais fácil, mas não quero. Quero recordar te como algo bom, que foste e és. Sei, o que quero para mim e o que é melhor para nós não coincide, sei bem. Após algum tempo, e muita hesitação, esta noite, numa brincadeira, os teus lábios voltaram a tocar os meus, aperto no peito. Quero e não quero. Quero-te, isso é seguro. Não quero sofrer, não quero me sentir um passatempo que está disponivel enquanto estás por perto e quando vais, passa a ser "nada". É assim que me sinto. Conheço-te tão bem e tão mal. Nada é mais certo. Certo é o que sinto por ti. A culpa não foi nossa. Foi do tempo, da distância, da vida. Culpo-me por ter acreditado num conto de fadas, pura fantasia. Em que tu és o príncipe e eu a princesa que tu salvarias. Sabia desde o começo que não serias meu por muito tempo, vivemos realidades diferentes. Incompatíveis. Mas acreditei, cegamente. Pisei o fogo e queimou, continua a queimar. Não sei quando parará. Calei-me, sem intenção. Queria tanto conseguir disfarçar, sou tão boa nisso em tantas ocasiões, mas contigo simplesmente não consigo. Não consigo. Insisto em continuar a te ver, estar contigo, "vamos ser amigos" concordamos mutuamente num dia passado. Aceitei, apesar de no fundo te querer só para mim. Será o melhor? Está dificil, não quero mais ninguém perto de ti. Não quero. "Amigos"? Tenho tentado. Saudades vem, lágrimas vem. Não foi falta de vontade, foi falta de oportunidade. Não adianta imaginar como poderia ter sido, se o mar não se tivesse colocado entre nós logo no inicio. Quero que vivas tudo o que queres, não abdicando de nada, por causa de algo tão inseguro. Como é a nossa relação. Ao mesmo tempo queria poder ficar contigo eternamente. (...)

-JR.

Diário || Sábado





Sábado cá em casa é sinónimo de dia de limpezas. Arrumar a casa de cima a baixo, com a música alta e os miudos a pular de um lado para o outro.. Resumidamente, um Sábado normalíssimo.


-JR.

Histórias || Garajau

-"Amanhã as 12h no Funchal!"
 -"E vamos onde?"
-"Não sei, vamos a descoberta"
-"É preciso levar alguma coisa?"

-"Comida e fato de banho"(..)
Assim foi, já eram 2h da manhã. Combinado em cima do joelho. Já passava das 12h quando nos encontramos. De mochilas as costas. Até comentei que parecia a Dora a Exploradora. Atravessamos o Funchal e fomos até uma paragem de autocarros! Apanhamos o 38 Cancela, o objetivo era ir ao Caniço, mas os HF , só iam até a Cancela, como temos passe e bilhetes pré-comprados, os bilhetes noutra transportadora iriam sair caro. Então, apanhamos o 38, fomos até a Cancela e o resto fomos a pé. seguindo as placas que encontravamos na estrada. Fazendo pausas aqui e ali, entrando em lojas e afins. Pareciamos autênticos estrangeiros. O objetivo era esse. Porque viagens de carro são sempre tão banais. É claro que se chega ao destino mais rápido, mas perde-se muita coisa. Mais de 40 minutos depois, chegamos ao destino: Cristo Rei. Confesso que sou um "bichinho do buraco" passo a vida enfiada em casa e apesar da ilha ser pequena e maioritariamente acessível existem muitos sítios que desconheço. Então a qualquer lugar que vá, é sempre uma descoberta. Fizemos uma pausa, observar a paisagem que é LINDA. Água, Comida, Falar, Rir e Brincar, tudo o que acontece num passeio normal! Até então o tempo estava forrado, mas decidiu abrir e eu decidi que queria ir para a praia, queria e ponto. O acesso ou era feito a pé por um caminho infindável, cheio de curvas (levariamos mais de meia hora a lá chegar) ou pelo teleférico! TELEFÈRICOOO! Vamos lá! A alegria toda foi porque nunca tinha andado nesse meio de transporte assustador. E lá fomos. Em 2 min estavamos na praia ( Praia do Garajau), prontos para o sol e o mar! Num instante passaram 2h e tinhamos que apanhar o teleférico de volta, fazer o caminho todo de regresso, apanhar o autocarro e chegar a casa. Mas não havia vontade alguma de andar a pé, muito menos a subir! Graças a Deus conseguimos boleia de um familiar! Foi Sortee! Senão iamos chorar para subir, literalmente! Foi um bom dia, mais um dia de Verão.

Por lá: 
 
 

-JR.

Diário || Um Domingo perfeito

Domingo a tarde, casa vazia, o que fazer? Ligar o Rádio, com um volume agradável, fazer um café bem quente, que sabe sempre bem. Encher a banheira , fazer alguma espuma, entrar e relaxar. Domingo perfeito! Fossem todos assim!


-JR.