Diário || distância

Tu não imaginas a angustia que me dá saber que tu estás ai e eu aqui. Querer te tocar, te sentir, e não poder, não conseguir.. Não imaginas a fúria que eu sinto, por tanto te querer, mas, nada ter. Como é enorme a falta que me fazes, como me perturba ouvir a tua voz, e saber que disso não passa, apenas posso ter a voz. Não o toque, o calor, o sabor.. Não imaginas.
Porque eu quero que vás, mas quero que fiques. Quero te aqui, mas não quero, que de nada abdiques. Isto é tudo uma contradição, é mistura de sentimentos, de lógica e razão. No fim, fica o aperto no peito, a lágrima rolando no rosto. e o olhar dizendo que vás, desejando dizer o oposto..



-Jovita R.

1 comentário: